De Belo Horizonte | Brasil
Beleza Negra | Moda | Comportamento

Empoderamento Feminino

Discussões sobre feminismo e empoderamento feminino.



Algumas maneiras de ajudar outra mulher no dia a dia

Algumas maneiras de ajudar outra mulher no dia a dia

A gente foi criada para enxergar outras mulheres como rivais – e isso é notável em várias situações. A gente já se orgulhou de ter mais amigos homens, olhou torto para alguma mulher que usava uma roupa mais bonita que a sua numa festa ou falou mal de uma mulher sem ao menos saber o porquê.

E deixando claro aqui, a gente não precisa amar e idolatrar uma pessoa ruim, com atitudes questionáveis ou que nos faz mal só porque ela é o mulher. A questão é que a gente sempre foi ensinada a estar melhor que qualquer outra mulher no mesmo ambiente em que estamos.

Apesar dessa marca ter sido introjetada nas nossas veias desde sempre, à medida em que vamos desconstruindo este pensamento percebemos que não precisamos ser rivais e o resultado é uma rede incrível de mulheres unidas que vem crescendo a cada dia.

Quando você se sente bonita?

Quando você se sente bonita?

Quando alguém te pergunta se você se acha e se sente bonita, o que você responde? Eu demorei muito para responder este questionamento de forma positiva. Na verdade, sempre enrolava e falava que não, ou dizia um sim meio atravessado e nada sincero.

A real é que até pouco tempo eu não me achava nada bonita. Aceitava os defeitos que colocavam em mim e me olhava no espelho achando TUDO errado. A testa grande demais, assim como o nariz e a boca. Por um tempo, na infância e na adolescência, a pele escura também me incomodava bastante – e isso é terrível e mais comum do que imaginamos. 

Eu quero melhorar algumas coisas no meu corpo – e tudo bem!

Eu quero melhorar algumas coisas no meu corpo – e tudo bem!

Dia dessas eu estava conversando com uma amiga sobre cirurgias plásticas. Eu já tive vontade de colocar silicone nos seios, mas passou quando aprendi a achá-los lindos do tamanho que são. Ela fará a cirurgia no final deste mês e está feliz da vida. Me contando sobre isso, disse rindo: espero que cacem minha carteirinha de empoderamento por fazer uma plástica!

Aí a gente começou a conversar sobre essa questão: corpo x empoderamento. A gente vive numa época incrível em que, cada vez mais, mulheres são incentivadas a amarem seus corpos e celebrarem cada pequena característica deles. Isso é maravilhoso e, sim, tem ajudado muito a gente se olhar com mais carinho.

Na mesma medida, tão importante quanto amar o seu corpo, é saber respeitá-lo – até mesmo se você quiser mudar algo.

O que é ser uma “nega metida”?

O que é ser uma “nega metida”?

Há uns dias, uma pessoa x virou pra mim numa conversa e disse que eu era uma nega muito metida. É claro que falou isso sorrindo, como forma de elogio, mas aí fiz questão de saber o porquê dessa fala. A pessoa me respondeu que eu era metida por ser estudada, inteligente, esclarecida em algumas questões, bastante independente em outras e completou dizendo que não estava acostumada a ver mulheres assim.

Mais uma vez, questionei se ela não estava acostumada a ver mulheres assim ou mulheres negras assim. Percebendo que eu estava falando sério e claramente incomodada com o “elogio”, a pessoa me respondeu, meio engasgada, que era espantoso (sim, usou essa palavra!) ver uma mulher como eu, tão nova (mas na verdade não era nova a adjetivo que ela queria usar) frequentando lugares tão legais, sendo tão inteligente, independente e esclarecida. Continuei olhando para a pessoa e ela, muito desconfortável, tentou mudar de assunto e parece ter dado graças a Deus quando um conhecido chegou perto da gente antes de eu questioná-la mais uma vez.

Onde Estou

Brasil - Belo Horizonte

Fale Comigo

karla@heycute.com.br comercial@heycute.com.br

+55 - 031 | De Belo Horizonte, Brasil | Hey Cute - Por Karla Lopes | AXIOM © 2017 All rights reserved.