sexta-feira, fevereiro 12, 2016


..


Como tem marca com batom matte agora nessa vida, né? Adoro! Melhor textura do mundo... Por mim, usava somente eles, rs. Descobri este dias aqui no centro de BH o da Luisance, marca que eu já conhecia e sempre gostei dos produtos que usei. Primeira coisa que me chamou atenção: a cor, óbvio! Os meus batons vermelhos que são matte acabaram todos, então, precisava de um substituto legal.

Nunca tinham nem visto estes da Luisance, então, não tive muito parâmetro para avaliar. O que foi bem bacana porque o produto é realmente MUITO bom. Arrisco em dizer que, em termos de textura, pigmentação e durabilidade, comparado ao preço (R$12), é um dos melhores que já usei!


A melhor coisa dele é a textura. Matte DE VERDADE, ela é mega confortável na boca. Fica seca, mas não dá aquela sensação de lábios duros, sabe? Além disso, ele seca bem rapidinho e totalmente. Ou seja, nada de sentir o batom enquanto conversa, como se ele tivesse melado.

A pigmentação também é incrível. Uma camada é o suficiente para que fique tudo vermelhinho e sem manchar. Sobre a durabilidade, achei bastante boa sem você comer. Como os alimentos são oleosos, o batom acaba saindo um pouco no centro dos lábios - o que acontece com todos que já usei. Fora isso, o da Luisance fica lá quietinho, sem necessidade de retoques.


Pessoalmente, o tom de vermelho dele é um pouco mais fechado do que mostra na foto. Ele tem um fundo levemente rosado. Se for para fazer uma comparação bem por alto, diria que é um pouquinho mais "aberto" que o Ruby Woo, da Mac.

Não lembro o nome da loja em que comprei, mas ela fica em frente a saída do Shopping Cidade na rua Tupis, aqui em BH. É fácil de achar! Gostei tanto deste bonito, que já voltei lá e comprei mais dois. Depois mostro para vocês! ;)

Comments

terça-feira, fevereiro 09, 2016


..


Ao ler o título deste post, você deve estar pensando: coitada da Ká... Não tem vida social e vive no Netflix. Ou também pode me julgar como desocupada. Mas já me defendo dizendo que tenho uma vida social bem ativa, emprego fixo, alguns freelas em andamentos, além do blog. Te contar, nem eu sei como consegui assistir 10 temporadas de 24 episódios cada em 30 dias. Toda hora que paro pensar nisso dá um nó na minha cabeça. A única explicação é que levo maratonas de seriados MUITO à sério. 

Comecei a assistir Grey's Anatomy na madrugada do dia primeiro para o dia dois de janeiro. Desde então, não parei mais. Como sou uma pessoa bem noturna e trabalho em casa, acaba que eu tenho um tempinho a mais livre (já que não preciso gastar quatro horas do meu dia só em ônibus e gosto de dormir bem tarde), então, todo ele era dedicado à Grey's. Com isso, no dia dois de fevereiro estava terminando a décima temporada, rs. 

Acho que isso nunca aconteceu comigo... E olha que assisto muitos seriados, hein! O que mais intrigou em Grey's é que apesar do cenário principal ser dentro de um hospital, cada personagem vai muito além disso. Foi o que me prendeu desde o primeiro momento, os conflitos internos, que vão além de uma cirurgia. 


Por falar nos personagem, outra coisa estranha, é que eu tive resistência em gostar da maioria deles. Acredito que o George e a Izzie tenham sido os primeiros que me conquistaram de cara. Mas passei temporadas e mais temporadas tendo birra da Cristina, por exemplo. E depois ela se tornou uma das amadas por mim. Junto ao Karev, que eu achava um babaca, e agora caio de amores (quem me conhece de verdade sabe que é a minha a cara amar um Karev da vida). Os dois são meus favoritos pela personalidade conflituosa dos personagens. Gosto MUITO da Bailey também, muito mesmo. Ela dá aula de emponderamento negro e feminino. E também da Torres, incrível no mesmo sentido quando se trata de homossexualidade. O resto, acho que é ok... Curto, mas não morro de amores. O único que ainda tenho um pouco de resistência é Owen.

Quis entender cada um dos personagens e talvez seja por isso que não conseguia largar a série, sabe? Almoçava assistindo, virava a noite na companhia dos médicos, fiquei dias e mais dias falando sobre isso no Snapchat (é blogheycute, segue lá!)... Acredito que agora, que entrei da 11ª temporada, desacelerei um pouco as coisas porque não estou achando tudo tão empolgante assim. E me avisaram mesmo que depois da 10ª a série começava a se perder um pouco. 


Quando comecei a assistir, muita gente me disse para eu preparar o psicológico e deixar uma caixinha de lenços à postos. Nossa, e como chorei nessa série... Como chorei! Comecei a odiar um pouco a Shonda pela crueldade, mas amá-la ao mesmo tempo pelos conflitos que criava. Acho que o maior susto e a maior crise de choro que tive foi no final da quinta temporada. Levei um susto tão grande com o que o que acontece... Estava preparada para uma coisa, mas veio outra completamente diferente! 

Por causa disso, fiz uma coisa bem feia: cacei spoilers de todas as mortes da série. Fiz isso mesmo e não me arrependo. Quem é Shonda Rhimes para brincar comigo desse jeito? Não adiantou muito, porque quando chegavam os "momentos", chorava e ficavam mal da mesma forma, principalmente por ser tudo tão de repente, trágico e com pessoas que eu amava na trama. E já estou me preparando também para o que pode acontecer da 12ª temporada. Afinal, Shonda não é chamada de Shondanás atoa, certo? haha


Poderia ficar horas falando aqui sobre como fiquei empolgada com a série, mas termino o post resumindo em: Grey's Anatomy se tornou um dos meus seriados favoritos da vida. Com toda a complexidade de cada personagem, com abordagem de temas como homossexualidade, emponderamento da mulher e representatividade negra, acho que não poderia ser diferente, sabe? Me arrependo de ter demorado tanto para começar a assistir, mas tudo bem. Antes tarde do que nunca!

É uma série que merece, sim, todo o sucesso que têm. E já fico aqui pensando com o coração apertado em quando acabar. Como disse no post em que fiz sobre a Shonda aqui no blog, espero que ela só continue criando mais e mais histórias que nos prenda e que faça com que a gente traga seus conflitos para a vida real, por mais distantes que eles pareçam ser! 


Comments

segunda-feira, fevereiro 08, 2016


..


No começo mês é hora de mostrar os produtos mais usados nos últimos 30/31 dias, né? Janeiro foi essencialmente de maquiagem, mas tive algumas descobertas capilares bem legais também, viu... Poucos e bons produtos para quem quer conhecer novas coisinhas de beleza sem pesar demais no bolso. Vejam só:


Produtos citados:
- Mousse Gloss, linha Charming - Cless
- Sérum Booster, linha Óleo Extraordinário - Elseve
- Corretivo Natural Finish Cream Concealer - Shiseido
- Sombra marrom linha Pro da Dailus - cor 30
- Batom líquido matte da Luisance 

Comments

sábado, fevereiro 06, 2016


..


Não é todo mundo que se anima com a questão principal do Carnaval, né? Tem gente que não tá nem aí para desfiles, fantasias e muito menos ir à bloquinhos passar calor em meio a um monte de pessoas. Tudo bem, mas duvido que exista alguém que não goste do feriadão que a data traz. Bom para descansar, colocar as coisas no lugar, esfriar a cabeça... Cinco dias para fazer um tanto de coisas que não tem nada a ver com cair na folia. Vejam só quinze delas para inspirar qualquer não-folião:
  1. Vá para algum lugar sem acesso à internet e se esqueça do mundo;
  2. Encontre com outros amigos que também não gostam de carnaval para um reuniãozinha gostosa na casa de um deles;
  3. Passe ao menos um dia inteiro na cama com a pessoa que você gosta <3;
  4. Assista vários filmes no Netflix
  5. Ou comece alguma nova série. Recomendo Grey's Anatomy ou o documentário Making a Murderer (juro que você vai começar a assistir e nem vai lembrar que existe um mundo lá fora!);
  6. Aproveite todo esse calor para ir à alguma cachoeira pertinho da sua cidade;
  7. Leia um livro com uma história tão envolvente que faça com que você mude a sua percepção de mundo no feriado;
  8. Saia com o seu companheirx e vá para uma cidadizinha gostosa no interior que nem sonha com Carnaval;
  9. Organize a sua vida para o ano que começa depois do feriado (sim, isso já é sério no Brasil): dê aquela faxina no quarto, alinhe as coisas de trabalho, dê um jeito naquilo que você ainda não conseguiu arrumar...
  10. Comece a tirar os planos do papel, pensando no que pode ser viável para este ano e faça acontecer;
  11. Descobra um novo hobbie: tente pintar, desenhar, plantar, se exercitar... Nunca é tarde para descobrir alguma novidade para si mesmo;
  12. Escreva (bastante);
  13. Passe um dia com a sua família. Que tal todo mundo se juntar para fazer um almoço especial no domingo e colocar o papo em dia (longe dos celulares, por favor);
  14. Por falar nisso, um detox tecnológico pode ser bem vindo. Se você conseguir, desligue sua internet, vá viver a vida longe dela;
  15. Descanse! Com certeza o seu corpo está pedindo por um afago. Permita-se acordar às 11h da manhã ao menos um dos cinco dias de feriado!

Bom feriado! <3 

Comments

quinta-feira, fevereiro 04, 2016


..


É festa, é alegria, folia, brincadeira, todo mundo junto e aproveitando a época mais colorida do ano. Muita gente se divertindo em um mesmo local público. Espaço público. Indivíduo não. Ser mulher é lidar com assédio o tempo todo. Ser mulher é ter que aguentar homens invadindo um espaço que não é deles. E no Carnaval, uma festa, isso se intensifica - assim como em todas as outras.

Escolho a minha fantasia, me junto com os meus amigos, pinto a cara e coloco meu bloco na rua para me divertir, não para você me assediar. Não estraga mina alegria não... Deixa eu curtir meu Carnaval em paz. Não vem com seus amigos fazer rodinha em volta de mim pra me intimidar. E nem pensa em puxar meu cabelo ou meu braço para me chamar. Mulher não gosta disso não, cara. Mulher não gosta de assédio.

Me chamar de gostosa não é legal. O seu "oi, linda" não me faz me sentir linda - nem no dia a dia, nem no Carnaval. Eu não te conheço! Não tenho intimidade com quem eu não conheço. E se você perguntar se eu quero te conhecer, caso eu responda que não, aceite. Meu "não" não é um talvez. Não estou fazendo doce. Só não quero conhecer você. Não me agrida por não querer conversar com você! Se eu quiser, vou falar que sim. Sua mãe deve ter te ensinado que não é não, né? Todas ensinam! 

Tenta me beijar a força para você ver... Faço uma escândalo! E quando digo escândalo, é escândalo mesmo. Ou você acha que vou te deixar me silenciar? Não vou não... Para de achar que sou sua. Não seria se você me conhecesse. 

Ah, e não venha falar da minha roupa. Posso sair pelada na rua que você não tem direito sobre o meu corpo. Não use isso como desculpa para me assediar porque não vai colar. Vou sair com a minha fantasia e ela não é um convite para você. Nunca foi. Nunca será. Nem na folia e nem quando eu estiver indo à padaria comprar um pãozinho.

Cantada não é elogio, tá? Não é enquanto estou a caminho do meu trabalho e nem quando estou pulando no meu Carnaval. O que você pensa, guarda pra você. Eu não quero saber! Não vem gritar isso aos quatro ventos no meio da rua como se ela fosse sua. Como se eu fosse sua. Eu não sou!

Deixa eu pular meu Carnaval em paz. Se você vier conversar comigo com educação, vou ser educada também. Mas não vem me tratar como se eu fosse tão pública quanto o espaço que você está. Eu não sou, tá? Não me assedia, não me oprime, não me faça ir pra casa mais cedo. Não acaba com a minha alegria... Respeita as mina! 





Comments